Skip to Content.
Sympa Menu

gnl - Re: Indicação de vídeos [SÉRGIO AMADEU - QUAL É O DILEMA DAS REDES?]

gnl AT framalistes.org

Subject: GNU // Linux // Software Livre // Privacidade // Segurança // Linha de comandos

List archive

Re: Indicação de vídeos [SÉRGIO AMADEU - QUAL É O DILEMA DAS REDES?]


Chronological Thread  
  • From: Hugo Cerqueira <hrcerq AT disroot.org>
  • To: gnl AT framalistes.org
  • Subject: Re: Indicação de vídeos [SÉRGIO AMADEU - QUAL É O DILEMA DAS REDES?]
  • Date: Wed, 28 Apr 2021 15:14:47 -0300

> Minha primeira contribuição é a ótima entrevista do Profº Sérgio
> Amadeu, concedida ao jornalista Breno Altman.

Legal. Eu já acompanho o trabalho do prof. Sérgio Amadeu no canal
Tecnopolítica. Sempre bom ver as conversas dele. O que foi ruim dessa
vez é que pelo visto ele esqueceu de dar comida para o cachorro, que
atrapalhou a conversa várias vezes.

Também achei engraçado um programa chamado 20 minutos durar uma hora e
meia.

> Reservem um tempinho para assistir. Segue o link:
>
> https://invidious.snopyta.org/watch?v=9f56pJdrjz8

Uma coisa que me incomoda um pouco nas falas do professor é um discurso
um pouco conformado com a adoção massiva dessas redes sociais. Por
exemplo, ele comenta que tem conta no Facebook, e também fala muito em
regulação. Eu creio que a regulação em determinados contextos pode ser
importante, mas é muito mais interessante que não haja monopólios (ou
oligopólios) do que tentar regular esses oligopólios.

Também não concordei muito quando ele diz que pelo fato de essas
empresas de TI concorrerem entre elas, então você pode fornecer os
dados separadamente para cada uma delas. Pra mim isso não é o bastante.
Penso que devemos sim romper com todas elas tanto quanto for possível.
Pode não ser prático, mas ainda acho que é o melhor caminho.

Claro que segmentar a maneira como os dados podem ser coletados
dificulta o cruzamento dos dados, mas não há garantias de que os dados
capturados por essas empresas não sejam vazados (propositalmente ou
acidentalmente) ou que acordos espontâneos sejam feitos, ou mesmo que
por imposição do governo esses dados sejam cedidos e cruzados.

Quando ele diz também que a criptografia pode ajudar, depende. Por
exemplo, vamos supor que você use criptografia ponto a ponto. Se antes
de cifrar a mensagem (no dispositivo do remetente) ou depois de
decifrar (no dispositivo do destinatário) a mensagem for capturada por
um processo malicioso, não adiantou nada.

Então a criptografia só é útil quando os dispositivos envolvidos também
são confiáveis. E é sempre bom lembrar, o algoritmo também deve ser
confiável, o que significa que deve ser auditável, coisa que não ocorre
no Whatsapp, que ele mencionou. Não basta querer crer que a
criptografia funcione como propagandeado. É preciso auditar.

Em contrapartida, achei de uma precisão cirúrgica a análise que ele faz
sobre a questão do bloqueio feito arbitrariamente pelo Twitter, que
muita gente aplaudiu. A questão da soberania de dados também foi muito
bem explicada.

E certamente vou correr atrás desses livros que ele recomendou no final.

No geral gostei da entrevista. Relacionado a esse assunto, existe um
outro livro muito interessante também, chamado "10 argumentos para você
deletar agora suas redes sociais", de Jaron Lanier. Li o livro e achei
muito bom para explicar esse fenômeno.

Outro livro legal sobre esse assunto é o "Vigilância Líquida", de
Zygmunt Bauman e David Lyon, que vai um pouco além do tema das redes,
mas também passa por ele. Esse ainda estou lendo.

E tem também o livro "Irresistível", de Adam Alter, que explora mais a
questão de como as interfaces utilizadas nas redes são feitas para
viciar e manter a pessoa presa ao programa pelo máximo de tempo
possível. Esse eu também ainda estou lendo.

Por fim temos também o livro "Future Crimes", de Marc Goodman, que
explora mais a questão do cibercrime, mas que obviamente não poderia
deixar de mencionar o quanto as redes sociais são exploradas nesse
sentido. Esse também já li e digo que é recomendadíssimo.

--
Atenciosamente,

Hugo R. Cerqueira

"A única maneira de lidar com um mundo sem liberdade é tornar-se tão
absolutamente livre que a sua própria existência seja um ato de
rebelião."

(Albert Camus)



Archive powered by MHonArc 2.6.19+.

Top of Page